Meu carrinho

Fechar

Reposicionamento de marcas de grife com os jogos digitais

Escrito por Maria Gedeon

• 

Postado em 05 abril 2021

Já pensou em comprar um par de tênis virtual no valor de 2.400 dólares que só existe em um jogo para celular? Parece um tanto exagerado, mas esse mercado já é uma realidade, movimenta bilhões por ano, influencia a moda física como conhecemos e está tomado pelas grandes grifes.

É sobre como e porquê as grandes grifes como as famosas Gucci e Louis Vuitton estão investindo pesado no mundo dos games e na tecnologia de realidade aumentada que vamos falar no blog desta semana. Acompanha com a gente!

Skins: a moda dentro dos games

Skin - pele em inglês - é o termo utilizado para se referir a itens que alteram, de alguma maneira, o visual dentro dos jogos, sejam roupas, acessórios, cores, etc e faz parte de um fenômeno dentro dos games chamado “cosmético”. O cosmético no mundo dos jogos pode ser uma skin, uma arma, sprays ou qualquer outro item colecionável. 

Acontece que esse fenômeno não é uma novidade na indústria dos jogos, mas está chamando cada vez mais atenção pelos números expressivos que esse mercado tem gerado.

Só em 2020, o jogoLeague of Legends” gerou 1,75 bilhão de dólares em receita para a desenvolvedora Riot, segundo matéria publicada no G1. Como o jogo é gratuito, a maior parte do faturamento vem da venda de itens cosméticos, que, no “LoL”,como é popularmente conhecido, têm uma função puramente estética. 

Esse já era um mercado promissor mesmo antes da pandemia do novo coronavírus, que provocou a quarentena e o isolamento social como medidas de prevenção e fez com que esse mercado só crescesse.

Dados de um relatório produzido pela SuperData e divulgados pelo portal Negócios.pro.br apontam que o mercado de games eletrônicos obteve crescimento de 12% e faturamento de 126,6 bilhões de dólares. Com números assim, não é surpresa que grandes marcas estejam de olho nesse nicho.

Fora das passarelas, presente nas telas

Se para a indústria dos games a pandemia não causou prejuízo, pelo contrário, para o mundo da moda esse cenário teve impactos avassaladores. Sem previsão de quando os eventos e desfiles irão voltar a acontecer, grifes de luxo estão buscando formas alternativas de se manterem próximas e conectadas a seus consumidores. 

A Gucci, por exemplo, vem investindo em tecnologia para atrair e manter o consumidor interessado em seus produtos mesmo antes da pandemia. Um exemplo disso aconteceu no verão de 2019, a grife, em parceria com a Wanna, plataforma que explora as potencialidades da Realidade Aumentada, lançou seu novo modelo de tênis, Ace, que podia ser experimentado através de um aplicativo.

Com os impactos da pandemia no modelo de negócios de grandes grifes, a Gucci, entre outros nomes como Valentino, Marc Jacobs e Louis Vuitton, visualizou nos jogos online uma forma de renovação na sua forma de vender e se relacionar com o público. 

A união faz a força e dita tendência

No final de junho do ano passado, uma parceria deu o que falar no mundo da moda: Gucci e o jogo de tênis Clash

Esse foi o segundo passo tecnológico e consistente na clara mudança de posicionamento da marca, com a parceria com um jogo online em que os usuários podem escolher o uniforme do avatar dos jogadores usando peças da grife.


(
Imagem: reprodução Google)

Mais recente, a Gucci, também em parceria com a Wanna, está vendendo tênis virtuais por 12,99 euros! Desenhados por Alessandro Michele, diretor criativo da grife, os novos tênis da marca italiana não podem ser tocados. São virtuais e podem ser comprados para serem usados exclusivamente através da Realidade Aumentada, como se fosse um filtro.

Da moda virtual para a moda real


(Imagem: Reprodução G1)

Outro caso visível de reposicionamento de marca de grandes grifes é o case da Louis Vuitton, que em parceria com o jogo online “League of Legends" em 2019, colocou à venda calças, blusas, brincos, botas e bolsas que só existiam dentro do aplicativo. 

A parceria deu tão certo que, além das peças virtuais, uma coleção física foi criada e dedicada ao jogo. Legal né?!

Jogos contribuem para moda sustentável

De acordo com Laura Belmond, uma especialista em moda, em um trecho retirado da matéria publicada em Consumidor Moderno, com modelos de roupas sendo criados virtualmente e com a realidade aumentada permitindo que os clientes “provem” as peças antes delas existirem, há grandes chances de o mercado fashion sofrer uma reviravolta das grandes.

Com peças feitas para serem usadas apenas online ou que tenham mais valor no mundo virtual,  um dos impactos positivos que podemos esperar é a redução gradativa da quantidade de lixo gerado pela indústria da moda

Com os jogos, os produtos ganham mais visibilidade, geram desejo no consumidor e só depois a pessoa escolhe se está disposta ou não a desembolsar milhares de dólares para trazê-lo para o closet ou manter apenas no mundo virtual. O que entendemos como um grande reforço tecnológico para o consumo consciente.

Aqui no blog da EMIGÊ.it já falamos de grandes iniciativas e ferramentas tecnológicas que estão fomentando a moda circular e sustentável, leia aqui

Na era da informação, da tecnologia e dos games, o que vestimos diz muito sobre como enxergamos e reagimos aos problemas que nos cercam.

Além dos jogos, é possível se inspirar e encontrar peças super originais e estilosas em brechós e bazares e ainda contribuir para o meio ambiente. O essencial é fazer o que estiver ao seu alcance, afinal tudo conta. 

Juntos podemos subir de nível no desafio do consumo consciente e zerar o desperdício com atitudes sustentáveis. Coloque a moda circular para jogo e se surpreenda com a infinidade de possibilidades que você vai encontrar. Vista-se de atitude!

Essa é a mensagem que queremos propagar por aqui.

Nós somos o que vestimos. O que você está vestindo para o planeta?

-

Jogos citados neste texto:

League of Legends - conheça aqui

Tennis Clash - baixe aqui para Android

comentários

0 comentários

Deixe um comentário
×
Bem Vinda =)