Meu carrinho

Fechar

A história do jeans e a ascensão do eco jeans

Escrito por Maria Gedeon

• 

Postado em 17 maio 2021

Dia 20 de maio é o Dia Mundial do Jeans, essa peça ícone do nosso guarda-roupa cheia de história para contar. Para comemorar os 148 anos de criação do jeans, te convidamos a conhecer um pouquinho mais sobre esse queridinho essencial no nosso dia a dia. Vamos lá?

Como tudo começou 

Tudo começou lá em Nimes, uma cidade da França que fabricava um tecido de algodão trançado que aos poucos foi se popularizando nos Estados Unidos. Em 1792 esse tecido recebeu o nome de denim - tecido de Nimes. E assim nasceu a matéria-prima da peça mais trend de todos os tempos, mas ainda tem muita água para rolar até chegar ao nosso jeans como conhecemos hoje.

Aproximadamente em 1860, o alemão Levi Strauss, que vinha de uma família com negócios na área têxtil, estava encontrando dificuldade de vender o tecido marrom que era usado em carroças na época da corrida do ouro. Foi quando ele teve a feliz ideia de criar calças para o pessoal que trabalhava nas minas de garimpo, já que eles precisavam de roupas resistentes para o trabalho. Não deu outra! Foi um sucesso.

Foi assim que Levi criou a primeira calça jeans. O primeiro lote criado juntamente com Jacob Davis se chamava 501, que deu origem ao modelo mais clássico da empresa e foi exatamente em 20 de maio de 1873, que foi concedida a patente para criação das calças jeans com rebite de cobre reforçado.

Em 1910 os dois bolsos traseiros foram adicionados e foi por volta dessa época que o querido denim começou a se popularizar. A imagem dos caubóis dos filmes de faroeste, dos soldados americanos na Segunda Guerra e dos astros de Hollywood e as grandes estrelas da música americana foram essenciais para a peça deslanchar.

Nomes importantes como Marilyn Monroe, Marlon Brando e Elvis Presley apareceram na mídia usando jeans! Logo depois o movimento hippie veio com a cereja do bolo usando jeans para representar a contestação e rebeldia.

No entanto, o público feminino ainda estava relutante sobre inserir a peça no guarda-roupa, foi quando a Calvin Klein, ao perceber o potencial do denim em 1970, resolveu apresentar a peça como unissex nas passarelas. Pronto, todo mundo queria um jeans para chamar de seu!

O boom dos anos 90

Em 1990 o denim chegou ao topo se consolidando como a peça mais usada dessa época: jardineiras, shorts, saias e jaquetas foram as preferidas dos jovens, sem falar da icônica calça flare que está sempre voltando às tendências.

Nos anos 2000 a diva do pop, Britney Spears, popularizou a calça jeans de cintura super baixa. O modelo foi adotado pelas dançarinas de funk no Brasil assim que a peça ganhou elastano, o que dava maior poder de movimento e muita sensualidade.

A partir de 2005 o mercado da moda apostou muito no tecido denim que ganhou inúmeros estilos, lavagens e modelagens para todos os gostos.

O lado negro da força

Agora que você já conhece a história do jeans, vamos falar do seu lado não muito popular no mundo da moda, mas que está evoluindo com o advento da tecnologia: o impacto ambiental do jeans.

A produção do jeans, infelizmente não é  nada sustentável, a necessidade de uso de agrotóxico no cultivo do algodão, matéria-prima básica desse tecido, e a grande quantidade de água, seja para irrigação das plantações, seja para lavagem das peças, estão na contramão das práticas que envolvem responsabilidade ambiental.

Uma única peça jeans consome mais de 5 mil litros de água em seu ciclo de vida e além disso, ainda há impactos relacionados aos corantes usados no tingimento, uso de energia, a geração de resíduos e até as embalagens utilizadas para comercialização.

A ascensão do eco jeans

Felizmente existem inúmeras iniciativas para ajudar a mudar esse cenário, como o programa Jeans Redesign, uma iniciativa da Fundação Ellen MacArthur, que visa levar a economia circular para o mundo da moda

O programa Jeans Redesign criou diretrizes com a ajuda de mais de 80 especialistas em denim que estabelecem requisitos mínimos de durabilidade, integridade do material, reciclabilidade e rastreabilidade das peças, aplicando os princípios da Economia Circular.

Este programa está criando soluções para que as roupas nunca se transformem em lixo, na prática as calças jeans mais amigas do meio ambiente são feitas para serem usadas por mais tempo e depois para serem feitas de novo. São ainda menos nocivas para os trabalhadores do setor de vestuário e para o meio ambiente, evitando produtos químicos e processos de produção agressivos.

“O Jeans Redesign é um ótimo exemplo de como todas as roupas podem ser feitas com materiais seguros e renováveis, de como modelos de negócios aprimorados podem aumentar o uso de peças de vestuário e de como roupas velhas podem ser transformadas em novas”, defende a Fundação Ellen MacArthur.

Tecido 100% orgânico

Uma das marcas que acaba de lançar uma coleção de sete peças de vestuário sustentáveis e com tecido 100% orgânico, inspirada no espírito do programa Jeans Redesign, é a norte-americana Tommy Hilfiger. Os modelos já estão à venda no site e a marca garante que o objetivo é aumentar a durabilidade da roupa e torná-la reciclável.

Além da Tommy, mais de 70 grandes marcas, fabricantes e fábricas têxteis, como Lee, Guess, GAP, C&A, H&M e Wrangler, já aderiram ao movimento e às recomendações do programa Jeans Redesign para produzir jeans que estarão disponíveis no mercado já em maio de 2021.

A mudança começa pelas calças que usamos

Além das grandes marcas e indústrias, é também possível fazer a nossa parte. Você sabia que comprar em brechó e bazares evita desperdício e, consequentemente, reduz impactos ambientais? Ao reutilizar algo que já foi de alguém, evitamos que aquela peça gere mais lixo, poupando a natureza de todo o trabalho de decomposição do objeto. É o que chamamos de consumo consciente.

Aqui na EMIGÊ.it você encontra peças em excelente estado, de ponta a ponta, com até 90% de desconto. Neste mês de maio estamos com 15% de desconto em todas as peças jeans do nosso acervo.

Além de comprar peças exclusivas, atuais, de qualidade e com um precinho camarada, você ainda ajuda o meio ambiente. Mais pessoas usando roupas de segunda mão significa menos desperdício.

Essa é a mensagem que queremos propagar por aqui.

Nós somos o que vestimos. O que você está vestindo para o planeta?

comentários

0 comentários

Deixe um comentário
×
Bem Vinda =)